3 Motivos para você deixar a interpretação de exames para o seu médico.

3 Motivos para você deixar a interpretação de exames para o seu médico.

Que atire a primeira pedra quem nunca se deparou tentando interpretar os resultados de seus exames médicos. Seja ele um simples check-up de rotina, ou para finalmente revelar a causa daqueles sintomas que há tempos vêm tirando o sossego, é muito comum os pacientes tentarem entender, por conta própria, o que os resultados de seus exames estão apontando.

Por mais simples que possa parecer entender o resultado do exame, o diagnóstico real só pode ser obtido quando associado aos sintomas apresentados. Por isso, para que esta análise aconteça da forma mais verídica e segura possível, é indispensável que a leitura dos resultados seja feita por um especialista, a fim de evitar erros e transtornos desnecessários.

Confira a seguir três motivos para você deixar que o seu médico interprete o resultado dos seus exames.

 

Diagnóstico errado

 

Muitas vezes, o paciente acredita que basta comparar o resultado indicado pelo laboratório com os valores de referência que acompanham cada análise, mas, em alguns casos, o resultado do exame pode estar dentro da faixa considerada normal e, mesmo assim, indicar algum problema de saúde.

O contrário também pode acontecer: o paciente pode encontrar alterações atípicas em seus exames e, em comparação aos valores de referência e aos sintomas apresentados, se autodiagnosticar com uma doença ou anomalia que, em grande parte dos casos, pode nem existir.

As taxas apresentadas em resultados de exame podem sofrer alterações de uma pessoa para outra. Isso porque, os números apresentam certa variação de acordo com o peso, condição física, rotina e outras características pessoais. Por isso, somente o médico poderá dizer se está, ou não, tudo certo com os seus exames.

 

Ansiedade

 

Em decorrência do último caso, onde o paciente se autodiagnostica ao notar alterações em seus exames, é muito comum que seja desenvolvido quadros de ansiedade ou pânico. Afinal, o paciente passa a agir como se o diagnóstico feito por si próprio fosse conclusivo, mesmo tendo a possibilidade de não estar correto.

Em consequência disso, o paciente começa a adotar medidas que podem não ser nada saudáveis, como: pesquisar na internet a respeito da doença a qual se autodiagnosticou; mudar seus hábitos de vida, tal qual alimentação e rotina; e, até mesmo, se automedicar. Tudo isso sem o acompanhamento ou, se quer, o aconselhamento de um médico.

A partir daí, pode-se gerar um quadro de ansiedade que pode afetar a vida do paciente de forma brusca. Para evitar que isso aconteça, o diagnóstico deve partir apenas de um especialista. Dessa forma, a pessoa sofrerá apenas por causas reais, deixando o “achismo” de lado.

 

Automedicação

 

Em muitos casos, é comum que, ao se autodiagnosticar, a pessoa passe a ingerir medicamentos que foram aconselhados por terceiros, ou que viu alguém falando a respeito na internet. A atitude é extremamente perigosa e pode acarretar inúmeras consequências que afetarão a vida e o bem-estar do paciente.

Mesmo que o diagnóstico esteja correto, é de suma importância que os medicamentos sejam indicados por um especialista. Afinal, são vários os critérios que devem ser levados em conta antes de se iniciar um tratamento médico.

O paciente tem a posse do resultado de seus exames e, por isso, tem todo o direito de abri-los e consultar os resultados mesmo na ausência de um profissional. Mas, as atitudes que ele tomará a partir do momento em que abre o envelope e se autodiagnostica sem a opinião de um médico, como se medicar por conta própria, não podem acontecer de forma alguma.

 

Consulte seu médico

 

Para evitar possíveis transtornos, preocupações desnecessárias e atitudes que podem comprometer sua vida e seu bem-estar, consulte seu médico e deixe que ele faça a leitura dos resultados do seu exame. Assim como dito, ele é o único capaz de avaliar suas condições, suas taxas de hormônios e outros critérios que devem ser levados em conta antes de apontar, ou não, uma possível doença.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, entre em contato pelo WhatsApp (65) 99244-7217 ou pelo telefone (65) 3641-2333.

Fonte: Equipe de Comunicação

Ao continuar navegando pelo Portal, o Usuário declara estar de acordo com nossa Política de Privacidade